sábado, 18 de fevereiro de 2012

Dia cheio, completo, com muita elipse e palavras por dizer

    Hoje fui elíptico até dizer chega (de ser elíptico, claro está!)

    Fechou hoje um círculo de formação ligado às Conferências de Português, já aqui anunciadas.
  Manhã e tarde dedicadas a formação, para cerca de cinquenta pessoas interessadas em partilhar experiências, saberes, poesia e afetos. Foi o IV Encontro de Linguística de Gondomar, desta feita integrado num plano de formação de 35 horas que a 'Oficina da Língua da Escola Secundária de Gondomar' tem vindo a dinamizar desde outubro passado.
   O dia terminou tarde, é certo, mas com as palavras poéticas de um colega que foi bom rever, ouvir, partilhar por mais breve que tenha sido o seu momento. Iluminou, na verdade, o fim da tarde com a leitura de alguns poemas; as suas impressões; o seu poder criativo no cruzamento com episódios de uma vida despreocupada com o estilo, com a metáfora, para deles poder tirar o máximo partido, sem ter de os banalizar.
    Diz-se que não há duas sem três, mas no meu caso é melhor dizer que não houve três sem quatro.
   O meu contributo neste encontro esteve "Entre as palavras ditas e as não ditas" (na companhia de provérbios, da ironia, de pressupostos, de implícitos, de implicaturas e de construções elípticas que se reveem na oralidade e na escrita, que se pretendem no ensino e na aprendizagem da língua), no seio do que tanto teve de enriquecedor, conforme se pode constatar pelo programa.


    Da comunicação produzida, ainda farei registo mais desenvolvido neste espaço, assim se cumpra algum descanso.
    Abandonada a ESG ao final de um dia de sábado, ficou a sensação do dever comprido e cumprido. 
    No fim, o momento mais esperado...

   Entre as palavras ditas e as não ditas, espero que não tenham surgido as interditas (porque ainda há grupos nos quais nos sentimos bem e com sentido).

Sem comentários:

Publicar um comentário