terça-feira, 4 de junho de 2013

Indiscutivelmente!

    A questão toca o domínio da formação de palavras, que parece não ser pacífico.

    A dúvida surge por causa de um teste e de uma correção que é entendida como dúbia.

    Q: A palavra "indiscutivelmente" como é formada? Não é um exemplo de parassíntese?

    R. Não.
      À semelhança de outros exemplos já aqui abordados, este é um caso de formação conseguido em diferentes etapas, nomeadamente discutível > indiscutível > indiscutivelmente ou, então, discutível > discutivelmente > indiscutivelmente.  O certo é que, à base inicial, são acrescentados um sufixo (mente) e um prefixo (in) em momentos distintos, podendo ocorrer ou só a forma sufixada ou só a prefixada.
     Assim sendo, trata-se de uma palavra derivada por sufixação e prefixação, o que é distinto da parassíntese (marcada pela presença de um prefixo e um sufixo simultaneamente adicionados à base e sem possibilidade de existir a palavra só prefixada ou sufixada).
       Apoiando-me no exercício abaixo proposto, verifique-se o que se passa com a alínea E):


       O número correspondente é o do processo 6, dada a possibilidade de existência tanto de 'indevida' como 'devidamente', o que comprova que prefixo e sufixo não foram acrescentados à base ao mesmo tempo, mas sim em momentos distintos.
       Isto não é o que sucede com os casos típicos de formação de verbos a partir de nomes, como é o caso de AnoitECER ( < noite), ou de verbos a partir de adjetivos, como ENtristECER (< triste). Estes, sim, são casos de parassíntese.

       E no que toca a este caso, trata-se de um exemplo indiscutível!

Sem comentários:

Publicar um comentário