quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Anúncios críticos

   Do muito que se vê afixado em algumas montras, fica mais um exemplo crítico.

   Passo por uma loja cuja montra me apresenta uma informação:


   Leio outros dados, para além do que se propõe:
   a) em termos pragmáticos, interessa menos o presente da leitura (que evidencia o óbvio encerramento) do que o intervalo temporal e o futuro nele incluídos e implicados, para não falar nalguma inconsistência em termos de coerência (entre o singular e o plural, respetivamente, de quem informa e de quem se toma como tema informativo);
   b) em termos ortográficos, o desacordo relativamente à grafia dos meses é notório (esquece-se que o acordo ortográfico aponta para a grafia com minúscula);
   c) na pontuação, surge o mais crítico de tudo: assinalar o vocativo com um ponto final, quando se espera uma vírgula.

    Comunicativamente funciona, mas da pior forma. No que toca à língua, era bom que fechasse mesmo para obras.


Sem comentários:

Publicar um comentário