quinta-feira, 18 de Dezembro de 2008

O mais lindo poema de Natal

      No final do primeiro período lectivo, com os alunos de 12º ano a descobrirem o poema de Natal mais bonito que o professor quis partilhar: o do nascimento de Jesus Cristo (mais humano, menos transcendental) num meio-dia de um fim de primavera.

      Li-lhes o poema VIII de "O Guardador de Rebanhos", de Alberto Caeiro, anunciando-o como o poema natalício mais bonito que havia encontrado.
     Ouviram-no, na totalidade, entre o silêncio do respeito poético e o riso que os aproximou de tão bela criança, tão marcada pela mensagem de vida.
      Ficam aqui alguns desses versos, na voz de Maria Bethânia.


      Outros ficam em falta, a motivar o reencontro com o texto:

"...
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural,
Ele é o divino que sorri e que brinca."


      É verdade: ainda se riram, no princípio (pelo inusitado, pela traquinice, pela ousadia, pela dessacralização); no final, deram conta do(s) verso(s) que mais os cativou (cativaram), justificando a selecção feita. Há palavras, ideias atractivas aos homens.

3 comentários:

  1. O NATAL NÃO E BRINCADEIRA MAS É A RESPOSTA DO SEU CORAÇÃO.
    E TAMBÉM É UMA DATA MUITO IMPORTANTE A RESSURREIÇÃO DE JESUS.

    ResponderEliminar
  2. Concordo.
    Por não ser brincadeira e por ser resposta do coração do Homem, o Natal deve ser mais real, mais identificado com o Homem e a sua condição, aproximando-o do que mais divino tem: o ato de nascer.
    É precisamente essa a mensagem do poema - com a transcendência que não deixa de ser comum aos nossos olhos; com um Jesus que nos faz acreditar que foi um de nós à hora de nascer, de brincar, de crescer, de se transformar e de testemunhar, sempre com a humildade que o tornou superior no que disse e no que fez.
    Talvez por isso o riso inicial, na reação ao poema, seja a constatação de que Jesus está muito próximo de nós. Daí que resulte num sinal de alegria que acaba por ser a afirmação do respeito por cada um de nós (e, implicitamente, por Jesus).

    ResponderEliminar
  3. Anónimo 1,

    Obrigado pela sua mensagem.

    Anónimo 2,

    Muito grato pela sua resposta, que bem pode ser a minha, sublinhando bem essa ideia de proximidade entre Jesus e o Homem comum. Estivesse ele no coração e no cérebro de cada um de nós, e o mundo seria bem melhor.
    Ai, se a traquinice fosse o pior dos males!
    Cumprimentos a ambos.

    ResponderEliminar