sábado, 19 de outubro de 2013

Espaço + Tempo = ???

      Isto é o que dá quando se quer fazer misturas.
   
     Quando a propósito de cronotopo (conceito que Michael Bakhtine, no estudo da narrativa, avançou para se referir à junção das duas categorias numa aproximação funcional e simbólica, por elas convocadas para a leitura literária e significativa assumida num conto, novela ou romance) alguém se lembrou da composição habitual do termo, a questão impôs-se:

      Q: Como é que se escreve espácio-temporal? Com hífen ou já o perdeu?

     R: Talvez já o tivesse perdido antes, ou talvez não. Na verdade, este é um dos termos compostos que introduz alguma instabilidade ortográfica, inclusivamente pelo uso que, anteriormente ao Acordo Ortográfico atual (datado de 1190 e com as alterações aprovadas em 2008), já admitia as grafias espaciotemporal e espácio-temporal (dependendo de se encarar, respetivamente, 'espacio' como redução do adjetivo 'espacial' ou o nome 'espácio' com entrada dicionarizada).
     Após o acordo, alguns dicionários têm optado por manter a  diferenciação: 'espaciotemporal' (Dicionário da Língua Portuguesa Houaiss, do Instituto Houaiss; Grande Dicionário da Língua Portuguesa, da Porto Editora); 'espácio-temporal (Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa).
      O facto de alguns destes dicionários adiantarem a entrada 'espácio' (como palavra autónoma) e a leitura do artigo primeiro da Base XV do Acordo são as razões para entender a última proposta (espácio-temporal) como a mais concordante com a letra do Segundo Protocolo Modificativo, aprovado na Assembleia da República em 2008 e a seguir transcrito (sendo o sublinhado da minha responsabilidade):

«BASE XV 
Do hífen em compostos, locuções e encadeamentos vocabulares 
1.º Emprega-se o hífen nas palavras compostas por justaposição que não contêm formas de ligação e cujos elementos, de natureza nominal, adjetival, numeral ou verbal, constituem uma unidade sintagmática e semântica e mantêm acento próprio, podendo dar-se o caso de o primeiro elemento estar reduzido: ano-luz, arcebispo-bispo, arco-íris, decreto-lei, és-sueste, médico-cirurgião, rainha-cláudia, tenente-coronel, tio-avô, turma-piloto; alcaide-mor, amor-perfeito, guarda-noturno, mato-grossense, norte-americano, porto-alegrense, sul-africano; afro-asiático, afro-luso-brasileiro, azul-escuro, luso-brasileiro, primeiro-ministro, primeiro-sargento, primo-infeção, segunda-feira; conta-gotas, finca-pé, guarda-chuva

     Caso para dizer que, até lei em contrário, as categorias espácio-temporais se manterão hifenizadas, a bem da autonomia de 'espácio' contemplada por alguns dicionários de referência.

Sem comentários:

Publicar um comentário