sábado, 13 de dezembro de 2014

Cinco palavras a morrer

      No blogue 'Certas Palavras', lê-se que há palavras a morrer.

      Assim se fica a saber:

    Cinco palavras portuguesas 
    que estão a morrer


        Ósculo
   Provavelmente, esta palavra não está a morrer: já morreu. Muitas pessoas já nem saberão o que quer dizer - e não me parece que alguém chore por esta morte, pois é um pouco estranho misturar a ideia dum beijo com uma palavra que lembra algum tipo de bicho estranho.

        Deveras
    Será ainda uma sobrevivente em certos discursos mais inflamados ou em paródias dum estilo antigo. Mas na vida do dia-a-dia não há quem diga “deveras”. Pelo menos sem que outros torçam o nariz a esta palavra com ar de outros tempos.

       Cassete
       Não morreu, mas está muito velhinha: uma palavra que ainda há poucos anos andava nas bocas do mundo… É bem provável que, muito em breve, siglas como CD, DVD e outros que tais se juntem à cassete nesse lar da terceira idade das palavras.

       Obséquio
      Uma palavra galante, mas cada vez mais rara. Ainda soa bem e não deixa de ter a sua graça, mas ninguém a ouve por essas ruas fora. Mas tiremos-lhe o chapéu, que merece o nosso apreço.

       Cosmonauta
     Nestes tempos em que a Rússia está mais interessada nas Crimeias desta vida do que na conquista do espaço, já poucos se lembrarão que os astronautas, por aquelas bandas, são cosmonautas. Nunca se sabe se não será esta uma palavra a ressuscitar muito em breve. Por enquanto, talvez seja bom recordar que um astronauta chinês é um taikonauta.

       Conhecem mais palavras que estejam a morrer?

      Até que eu gostava de responder, para que não seja debalde formulada esta questão. Mas para que os cinco vocábulos apontados não caiam em desuso, registo o seguinte: não procrastinemos! Osculemo-nos para que não haja deveras o desaparecimento de tão insignes ou egrégias palavras nem o olvido de usança tão propícia a relações humanas salutares e edificantes.

      E para que não vades sem galanteria, por obséquio, sede felizes. Votos de um repousante fim de semana.

Sem comentários:

Publicar um comentário