quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

E a chuva continua...

    Tem sido assim; parece que assim vai ser.

    Os últimos dias têm dado em chuva. Porque persiste, no chapinhar dos caminhos, entre a corrida que dela nos põe em fuga ou na face molhada que lhe dá a cara, resta descobrir a beleza deste tempo. Para quem pense que tal não existe, já o poeta o constatou em dois simples versos:

Montagem de imagens e do dístico caeiriano - VO

    Porque é natural, é belo; porque existe, é. Até pode haver quem não goste de um dia destes (eu tenho dias...!); há quem só queira calor e sol (sou mais deste tempo!). 

Caricatura de Viegas, em 'Pessoa Forever"

    Mas, se a chuva banha a natureza, só pode ser bela. Lava-a, equilibra-a e prepara-a para continuar a ser como é.
   Só tu, Caeiro, para - qual mestre - nos ensinares que o tempo é presente, por isso vale e nos acompanha a cada instante. Somos com ele e ele está connosco. Mesmo com chuva!

      Lá fora chove e cá dentro o tempo corre.