terça-feira, 26 de março de 2013

O que fazem o vento e a névoa de areia!...

    Do domingo passado até hoje, ficou em papel.

    Fica, agora, em suporte virtual, um momento que, na insuportável solidão, se afogou nas palavras, nos versos e nas rimas.


     No decurso do tempo, há sentidos que surgem, mesmo quando não se vê sentido nenhum na realidade que se vive.

      Sem papel, ficam os versos de hoje até sempre.

Sem comentários:

Publicar um comentário