quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A propósito de 'de paz'...

      Até podia ser por causa das guerras destes tempos, mas os motivos são outros.

      Chega mensagem e a resposta vai logo a seguir:

    Q: Na oração 'César promoveu uma época de paz', como classificarias sintaticamente 'de paz'?

      R: Trata-se de um modificador restritivo do nome. 
       A sequência 'uma época de paz' constitui o complemento direto da frase, apresentando este último um grupo nominal cujo núcleo ('época') é assumido por um nome que não seleciona complementos. Nesta medida, e independentemente de 'de paz' ter ou não de ser configurado na oração, é esse nome nuclear que determina a seleção ou não de argumentos acompanhantes, não sendo, portanto, ele um dos casos a considerar.


    Daí, internamente, o complemento direto apresentar um modificador que introduz propriedades adicionais na denotaçao de 'uma época', mas não um complemento implicado na estrutura argumental de 'época'.

      Diz o ditado, 'A César o que é de César'. A frase é sobre ele, mas a dúvida e a resposta, não. E disto não se faça mais guerra (porque 'de paz' é aquilo de que se precisa cada vez mais).