quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Do nome "livro" e dos seus complementos

      É um facto que a pontuação tem relações muito próximas com a sintaxe, para não dizer que a primeira é muito sintática.

       Talvez, por isso, o que começou a ser pontuação tenha evoluído para uma dúvida de sintaxe.

     Q: A propósito do uso da vírgula, vi uma explicação que passo a reproduzir: "os complementos do nome (não fazem parte do programa do 3º ciclo EB) também não podem ser separados por vírgulas do nome. EX: «Comprei um livro, de aventuras ao João.»"
       Dúvida: o segmento «de aventuras» é complemento do nome? Mas o nome que ele modifica («livro») não faz parte daquele conjunto de nomes que requerem essa função sintática, pois não?

     R: A questão do complemento de nome foi já aqui abordada em vários apontamentos, mas naturalmente muito ainda há a considerar, à medida que as exemplificações vão surgindo.
     A complexidade da questão pode levar a tipificar nomes que admitem a seleção de complemento, o que não invalida ter algum cuidado relativamente às realizações frásicas em que eles surjam (um mesmo nome pode ter expansões tanto com modificadores como com complementos) ou mesmo relativamente à possibilidade de outros nomes poderem integrar o que algumas sistematizações não propõem.
      No caso da palavra "livro", esta pode ser integrada na série de nomes com natureza argumental, como sejam os de parentesco (ex.: pai, filha, irmão, sobrinha...), os de representação de obra (ex.: quadro, desenho, estátua, foto), assim como os que designam relações sociais (ex.: amigo, colega, companheira), relações de subordinação ou dependência (ex.: criado, dono, proprietária), relações do tipo parte-todo (ex.: braço, perna, final, lado, suplemento) e propriedades / qualidades de pessoas ou outras entidades (ex.: altura, conteúdo, contorno, idade, forma, preço, peso...).
     "Livro" está relacionado com entidades concretas associadas a representação de obra, as quais admitem expansões com o papel temático de Agente / Tema, podendo estas últimas, por exemplo e à semelhança de outros complementos, posicionar-se no início da frase em contexto de inversão - conforme se pode detetar nos exemplos dados:

     i) Li vários livros de António Lobo Antunes.  > De António Lobo Antunes, li vários livros.
     ii) Comprei imensos livros de literatura.     >    De literatura, comprei imensos livros.
     iii) Adquiri três obras de medicina.      >   De medicina, adquiri três obras.

   Pelo exposto, faz sentido a reprodução da informação facultada na questão / dúvida, nomeadamente o que se diz relativamente à pontuação (em contexto de especificação e de sequencialização-padrão da expansão à direita; à esquerda, com inversão, nem por isso).

2 comentários:

  1. Bom dia, Vítor

    Tomei a liberdade de reencaminhar este post para os meus alunos.
    Obrigada por estas ajudas que podem ser muito úteis para muitos (que queiram aprender, é claro).

    Um beijinho
    M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, amiga.
      Fizeste muito bem! Isto agora é que vai ser uma concorrência direta à REN e aos serviços ferroviários. Qualquer dia torno isto um alfa pendular.
      Obrigado pela consideração e pela leitura.
      Beijinho.

      Eliminar