segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Cápsulas defeituosas...

     Há publicidade enganosa e há publicidade com defeito. Não há (bom) produto que escape.

     Na sensibilização para as qualidades da cápsula do café Nespresso, lê-se o que não se devia:

     
     Frase infeliz para a seguinte página publicitária:


     Confundir 'contém' (singular) com 'contêm' (plural) é obra publicitária que desvirtua qualquer produto publicitado - muito mais quando um apreciador de café deprecia quem lhe maltrata a língua. Não há combinação possível entre o sujeito sintático singular ("A cápsula") e o núcleo verbal do predicado no plural - uma das propriedades típicas do sujeito é precisamente a de requerer a concordância a fazer com esse núcleo verbal.
     Segredos destes são desnecessários (tanto às cápsulas como ao café). Não há George Clooney que valha, com ou sem a companhia de Deus (na pessoa de John Malkovich)!
     Quando for comprar café Nespresso (porque gosto do café) vou pedir desconto (porque não gosto do erro).

    Não há direito. Recriando o provérbio: na melhor cápsula cai a borra.

Sem comentários:

Publicar um comentário