terça-feira, 13 de abril de 2010

Reencontro: melhor mais uma vez do que outra vez

    O reencontro é com a música e com um dos diversos grupos que acompanhei na década de 80 do século passado, tal como muitos outros teenagers desse tempo.

    Nessa altura, entre muitos êxitos, até as barricadas eram menos limitativas, mais transponíveis.

Do álbum Through the barricades, lançado em 1986

   Hoje, passado o século, alterados o tempo e os rostos, mantém-se o tom dos "new romantic" Spandau Ballet. Revive-se a voz de Tony Hadley, o saxofone de Steve Norman, mais os guitarristas Gary e Martin Kemp, além do baterista John Keeble.

Do sétimo álbum do grupo (Once more), datado de 2009

         ONCE MORE

I don't want to let you down
I just want the chance to turn myself around
I keep on searching for the sound
I don't want to do you wrong
I just want to take us back where we belong
We were hot and we were oh so strong

Oh I know we will make it if we try
Reach for the stars and we can touch the sky


Darling, once more, won't you give me one more time
Say these words together
I need you more than ever
Trying once more
One more chance to make it right
Never say never, let's rise up together, take on the world

I don't want to change a thing
I don't want to change this whisper to a scream
Same old song in a different dream
Sorry I stole the show
I can't believe I had your heart and let it go
I always loved you but I didn't know

Oh there's nothing standing in our way
We've got the love but do we want to play


(Let's stick around, go round again
Another chance to make amends)

    Revivalismos em tempos de saturação - sempre é uma estratégia de sobrevivência.

    Com música, o passado até pode ser retemperador (sem querer ser saudosista). Pelo menos, traz alguma harmonia, para tempos que se revelem mais esgotantes e esgotados. "Let's rise up together, take on the world" (no matter how heavy I figure it out, right now).


2 comentários:

  1. Anónimo disse...
    Obrigada, Vítor, por este terno regresso ao passado! Spandau Ballet, há quanto tempo!...
    Como sinal do meu apreço, trago-te, em duas canções, uma voz feminina, também quente, doce e harmoniosa - Elisabeth Fraser dos Cocteau Twins.
    Muito obrigada!
    Isaura

    ResponderEliminar
  2. Ó minha anónima Isaura! :)
    Que boa esta troca musical!
    Uma nota feliz em tempos desgastantes.
    Obrigado por andares nesta carruagem e me dares a cor da tua presença.

    ResponderEliminar