quinta-feira, 23 de junho de 2011

Cantilenas do antes e do depois!

     De novo o Acordo Ortográfico, por causa das cantilenas.

     É verdade que as cantigas mudam com o tempo. Grandes êxitos viram-se adaptados, na letra, porque o tempo, os usos e os costumes mudaram; na música também, à espera de atrair novos destinatários ou para explorar novos ritmos.
     O mesmo parece que querem fazer às cantigas que ajudam a ensinar e a aprender.

 Q: Colega, eu costumava dar uma cantiguinha quando ensinava os meus meninos a escrever. Dizia-lhes "Antes de p ou b escrevo um m em vez de n". Isto já não faz sentido com o Acordo, pois não?

    R: Continua a fazer todo o sentido. Só não o faz nos casos da queda do 'p' surdo (não lido). De resto, mantém toda a pertinência, pois os alunos continuarão a escrever palavras como 'campo', 'amplo', 'comportamento', 'sarampo', entre outras. É bom, portanto, que continue com a cantilena, se esta cumprir o objectivo de ensino-aprendizagem pretendido.
     Creio que se quer referir apenas às situações em que 'p' (consoante surda) se encontra numa sequência do tipo 'mpç' e 'mpc, como é o caso de palavras como 'assumpção', 'assumpcionista', 'peremptório' ou 'sumptuoso'. Ao eliminar-se o 'p' (por não ser lido), deixa de fazer sentido, nestes casos (repito), a regra ortográfica de escrever 'm' antes 'p'. A inexistência de 'p' conduz à grafia de um 'n' para marcar a nasalidade da vogal anterior: 'assunção', 'assuncionista', 'perentório'. Vai também nesta linha a ortografia de palavras como 'suntuoso' no português do Brasil.
     Todavia, estes casos são tão circunscritos e tão pouco frequentes que considero pertinente continuar com a sua "cantiguinha". Também (ora cá está outro 'm' antes de 'b') lembro (mais um) e relembro (outro) a cantiga sempre (outro ainda) que encontro erros que não gostava de ver (e sou professor do terceiro ciclo e do secundário).
    
     Continue-se, pois, com as cantigas. Até porque quem canta seus males espanta.

Sem comentários:

Publicar um comentário