sexta-feira, 24 de junho de 2011

Véspera de São João... renovação, purificação e protecção

     Festividade do Porto, ao santo escolhido por coração.

    Do padroeiro Pantaleão à padroeira Vandôma, o Porto vive hoje a noite do seu santo de coração: a noite de São João.

Noite de São João, tela de  Alberto da Veiga Guignard (pintor fluminense), 1961

                                     Às Herodíades e aos Herodes
 desta vida


    Com cores e calor de fogo,
    voa na noite um balão;
    cheira-se o manjerico
    passando a palma da mão.
    Os copos escorrem vinho;
    há sardinha assada e pão;
    romaria e alho-porro
    são sinais da tradição;
    martelinhos na cabeça
    completam a animação.
    Natureza mais o Homem
    - na vontade e na união -
    têm motivos dobrados
    para tal celebração.
    Populares saúdam santos,
    enlevando o pagão.
    Na cascata, corre a água
    do baptismo no Jordão
    - acreditar no Messias
    é ver dor e salvação;
    na figura do cordeiro,
    há sacrifício e paixão.
    Na cidade, a orvalhada
    aviva a manhã de verão.
    Vai-se a escuridão do demo;
    vem o dia de S. João.

                                                                   Espinho

   Passe a noite, chegue o dia; corra o ano, cumpra-se o ciclo e prepare-se a festa: a do fim e do início do Mundo; a da natureza humana em transgressão.

    Enquanto houver caldo verde, broa e sardinha, há sempre razão para o São João.

Sem comentários:

Publicar um comentário