quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sempre a imaginar

       Há trinta anos, desaparecia do mundo terreno um homem a quem outro tirou a vida.

       Entre tantas composições (quer a solo quer com os Beatles), Imagine será sempre o hino de um ideal construído para uma irmandade humana feita de utopia. A utopia de John Lennon.
       Não se trata apenas de 'Give peace a chance', de 'Power to the People' ou de 'Working Class Hero'; é algo de 'Love' e 'Just Like Starting Over', com o activismo necessário a um messianismo feito de Igualdade na Terra.


IMAGINE

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky

Imagine all the people
Living for today...

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And NO religion too

Imagine all the people
Living life in peace...

You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man

Imagine all the people
Sharing all the world...

You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will live as one

    Ninguém assim devia morrer, muito menos por causa de outros que encurtam a vida.

Sem comentários:

Publicar um comentário