sexta-feira, 15 de julho de 2016

Um universal que não chega a ser

    É como na vida: há quem tudo queira e nada pode.

    Agora até nas compras nada é seguro (como se alguma vez tivesse sido), a julgar pela publicidade seguinte e os quantificadores nela utilizados:

Registo colhido dos apontamentos que circulam no Facebook

        Se qualquer peça tem o valor indicado, é incoerente dizer 'exceto algumas' (para as que o não tenham). 
    Perante o quantificador universal 'qualquer' à esquerda (remetendo para a ideia de totalidade de um conjunto, como em 'toda e qualquer peça') não há exceção a considerar. Por isso, na indicação à direita, o quantificador existencial no grupo nominal 'algumas peças' assere a existência da entidade designada ('peças'), mas contradiz a universalidade anterior.

     Eu nem entrava na loja. Ou é (todas) ou não é (só algumas). Vá lá perceber-se isto! Ao menos serve para trabalhar a (in)coerência dos discursos, assente em classes de palavras.