terça-feira, 19 de abril de 2016

Misturas!

    Muitos significados tem a palavra, das misturas mais pacíficas às mais críticas.

    Por ora, uso-a para caracterizar uma reação natural a quem ouve 'O amor é assim', dos HMB com a participação de Carminho. Isto de juntar uma voz do fado com o vocalista Héber Marques (mais Joel Silva, na bateria; Daniel Lima, nos teclados; Fred Martinho, na guitarra, e Joel Xavier, no baixo) como ritmo do soul e do R&B é significativamente inédito:

Vídeo de 'Got Talent - Portugal', na RTP1 (emitido a 20 de março de 2016)

     O AMOR É ASSIM

Eu não sei se algum dia eu vou mudar
Mas eu sei que por ti posso tentar
Até me entreguei e foi de uma vez
Num gesto um pouco louco
Sem pensar em razões nem porquês

O amor é assim
Pelo menos p'ra mim
Deixa-me do avesso
Tropeço, levanto e volto p'ra ti

Eu não perco a esperança
Espero a bonança
E nela avança o mesmo amor
E o tempo é companheiro é bom parceiro
E até já nos sabe a cor
E as voltas que embora nos tracem e eu lá sei
Leva-nos para onde for
Insiste, persiste, não sabes o fim
Mas assim é

Mas será que é mesmo assim?
Dizem que o amor é assim
Há tempo para descobrir

Mas só quero o teu bem
(Quero o teu bem)
E que eu seja o teu bem
(Que eu seja o teu bem)
E tudo nos vá bem
(vá bem, vá bem)
Não quero ficar sem ti

O amor é assim
Pelo menos p'ra mim
Deixa-me do avesso
Tropeço, levanto e volto p'ra ti

Caio e levanto qual é o espanto?

O amor é assim
Assim é o amor

    O facto é que resulta e muito bem. Há cerca de dois meses que já ouço a composição na rádio e, de cada vez, lá elevo o som para ouvir melhor. Uma batida nusical com uma combinação de vozes fantásticas.

     Os puristas do fado talvez não apreciem esta junção; por mim, ficou uma boa canção. Por isso, "Misturas!" é razão para uma boa reação e continuada audição, em balanço de dança e animação.