segunda-feira, 16 de maio de 2016

Valor (não restritivo) dos adjetivos

      A questão, hoje, tem contornos diversificados, atendendo à ordenação das palavras em causa.

      Tudo começa com a pergunta formulada, com tanto de certo como de errado (a fazer lembrar um apontamento anterior).

   Q: Olá, Vítor. Diz-me só uma coisa: o valor não restritivo do adjetivo é como nas subordinadas adjetivas não restritivas, com vírgulas, certo?

      R: Em parte sim, em parte não.
       A associação faz sentido no caso dos adjetivos posicionados à direita do nome - a posição típica no português (contrariamente, por exemplo, ao inglês, que vê o adjetivo à esquerda do nome). Quando colocados entre vírgulas, apresentam valor não restritivo (como nos sublinhados de 1a-c), apontando para uma propriedade que não contribui para a construção específica ou particular de uma dada referência nominal:

          1. a) O lixo, inesgotável, deve ter um tratamento seletivo.
              b) O Homem, racional, por vezes age animalescamente.
              c) Não gosto desse livro, aborrecidíssimo.

         Além destes casos, devem ser entendidos como adjetivos de valor não restritivo aqueles que, não estando separados por vírgula, se posicionam à esquerda do nome (antecipação do adjetivo). Trata-se de uma posição marcada no português (contrariamente à habitual ou tipicamente usada na sintaxe do português - a da posposição face ao nome), para dar conta de sentidos mais conotados, mais modalizados ou de matiz mais qualitativo / subjetivo.
           Compare-se o valor restritivo de 2a e 3a com o uso não restritivo de 2b e 3b:

           2a) A biblioteca antiga está a precisar de obras. 
                                                 ('antiga' no sentido de velha, antiquada - uma biblioteca que é antiga)
           2b) A antiga biblioteca deixou saudades aos que a frequentavam.
                    ('antiga' no sentido de inexistente)

                   3a) Ele ajudou o homem pobre.
                                                  ('pobre' no sentido de humilde, necessitado - um homem que é pobre)
          3b) Ele ajudou o pobre homem.
                                     (´pobre' no sentido de coitado, infeliz, independentemente de até poder ser rico)

         Em 2b e 3b há, portanto, sentidos derivados em jogo (por efeitos conotativos e/ou modalizados) como, aliás, se pode verificar no azulejo à direita, na segunda ocorrência de 'rica'. Ao sentido denotativo de 'mãe rica', numa realização restritiva, contrapõe-se o modalizado (afetivamente marcado) de 'rica mãe', numa ocorrência não restritiva e numa anteposição que explora dimensões significativas múltiplas (nomeadamente, as mais expressivas, irónicas ou qualitativamente orientadas).
    Sem vírgulas, estas realizações são também não restritivas, uma vez que não restringem, particularizam a referência nominal; antes a modalizam, salientam qualitativamente uma propriedade na subjetividade da avaliação, avaliação ou depreciação.

         Entre uma questão difícil (objetiva, restritiva e denotativamente encarada) e uma difícil questão (subjetiva, não restritiva e conotativamente marcada), fico-me por esta resposta, sem adjetivação, para não complicar mais a situação.