quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Uma estrela que ninguém (devia) quer(er)

      Nem sempre os títulos dizem tudo dos textos.

      Mais uma razão para ler o todo, pois a parte pode ser enganadoramente brilhante. E, como diz o povo, "Nem tudo o que (re)luz é ouro". 
      Isso mesmo nos canta Áurea, que se associou à Amnistia Internacional Portugal, para, com a sua música e voz, ajudar na denúncia de uma das situações que mais fere, viola os Direitos Humanos: a do tráfico de seres humanos.
       Caso para dizer que há "false shining stars":


The Star

It's a quarter past nine
And I'm ready to depart
My heart gets colder
My soul empty and dark
It's time to draw a blank
Over my and expectations
Just play the role
Carry on with no denial

Maybe there's a chance
To step out and run away
Or maybe nothing else
Besides anguish and despair
'cause years went by
Since i multiplied my own name
So here i am now
Your fantasy
False shining star

I'll fake you love and glory
Be the star in your story
I'm all you deserve
And quietly serve
Desires and whims
That you dream

Tonight, look at me smiling
While you reign and dictate all the rules
If you could just be able
To grasp beyond what you see
But why would you care
If you have me, your possession
So here i am now
Your fantasy
False shining star

I will lie to please your fiction
Playing my role accurately
All desires with fire
All secrets with velvet
I'll be who you want me to be
But you see the point is while you lust
My heart is bleeding
I will cry, I will scream, I will roar

I will lie to please your fiction
But i'll never be yours

     Com Áurea, pode dizer-se que se está perante uma "real shining star", tanto nos arranjos discográficos como nos espetáculos de rua
      Também nas causas a que se junta. É artista de voz cheia e produção entusiasta.

      Um caso áureo, esta Áurea da música portuguesa cantada em inglês.

Sem comentários:

Publicar um comentário