quinta-feira, 26 de maio de 2011

Quando "A vida é um jogo"

     Mais uma produção à R3.

     É giro ver como, à escala das coisas, um grande passo do homem pode tornar-se num grande passo para a Humanidade.
    Não se trata de ir à lua, mas é a afirmação de umas estrelas que, um dia, se cruzaram no meu caminho, pelas leituras que tiveram de fazer e pelos projectos que quiseram realizar. Do primeiro ao segundo, deste ao terceiro, ao quarto, ao quinto... espero que muitos mais surjam.
    O próximo anuncia-se forte, a julgar pela 'promo'.

 
    Pela apresentação dos responsáveis, lê-se que «Afonso, depois de passar pela recente morte dos pais, vê a sua vida mudada. Não vivendo nas mesmas condições que vivera com os pais e irmão, Afonso vai encaminhar-se para o "mundo" do jogo, sem saber as consequências que isto pode trazer. O seu irmão, Nuno, vai ser a sua consciência. João Pedro (JP) e Beto serão as duas caras que irão influenciar Afonso para os maus hábitos.» Um filme de Rui Moreira, Ricardo Santos, Rafael Silva e Fábio Pinto, na R3 Produções, 2011.

    É de profissionais. Com jovens destes, atentos aos males do mundo e às "bolas de neve" que nos arrastam e enrolam, dá para crer num futuro melhor do que o presente. Chamadas de atenção não faltam: assim se queira ver o que afasta o Homem da felicidade da vida, mesmo que esta se apresente, por momentos, negra e num jogo que nos possa (a)trair...

Sem comentários:

Publicar um comentário