sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Chuva com música

      Podia ser Vivaldi mais 'As Quatro Estações' (bem adequada ao clima vivido), mas a música foi outra.

    Em plena tarde chuvosa de inverno, os alunos de oitavo ano deslocaram-se até à Casa da Música, na Boavista (Porto). A visita de estudo foi organizada no âmbito da disciplina de Ciências Físico-Químicas e contou com o acompanhamento de vários outros professores de diferentes disciplinas. 
      Cinco turmas puderam assistir a um concerto ("Via Verdi"), no qual se procurava, através de uma encenação simples, aproximar os jovens não só de alguns conceitos (ária, dueto, libreto, allegro, adágio) mas também de algumas referências musicais. Basicamente, o escultor e pianista João Fígaro propõe-se concluir um busto inacabado de Giuseppe Verdi, mais a estátua de um pensador. O trio apresenta, assim, peças cantadas e inscritas nas óperas do compositor oitocentista,  explorando algumas situações de cómico.
    Cumprida esta etapa, prosseguiu-se com uma visita guiada à "Casa" projetada pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas para o evento Porto - Capital Europeia da Cultura, em 2001 (ainda que a construção só ficasse concluída quatro anos depois). A forma e a estrutura singular do edifício são apelativas e desafiadoras; os mate-riais e os pormenores de construção, marcantes; as visões da cidade, fantásticas.
     A sala Suggia, dedicada à violoncelista portuense Guilhermina Suggia (mais conhecida internacionalmente do que no país ou na sua própria cidade), é o cartão de visita-mor do edifício: uma sala de concerto toda revestida a pinho e com pormenores de folha dourada; com duas grandes janelas de vidro ondulado, a norte e a sul; com um órgão de tubos a replicar a arte barroca e um segundo de traçado romântico. Impressionante é a preocupação acústica do espaço, nomeadamente nos pormenores do tecido das cadeiras, no suporte de braços em silicone, na ondulação do vidro que se compagina com a propagação sonora em múltiplos sentidos.
      Todos os participantes deram a tarde por recompensadora, tanto pela qualidade da visita guiada como pelo que foi dado a observar, a experimentar, a concluir.

     Na condição climatérica que tudo tinha para não dar certo, a tarde foi musical, harmoniosa com o toque agradável de uma despedida também feita dos parabéns recebidos pelo comportamento dos alunos. Palmas para eles, que deixaram os professores orgulhosos.